The Mirror – As Spice Girls Voltaram!

The Mirror: As Spice Girls Voltaram!
Ano: 2007

Eu chorei quando Geri deixou as Spice Girls. Sim, é verdade. Normalmente, eu sou a única pessoa em qualquer lugar que esteja que é capaz de dizer isso. Mas não hoje.

Porque hoje é o primeiro show da turnê das Spice Girls em 2007 e aqui há outras 15.999 pessoas que também derramaram algumas lágrimas. Geri deixou o grupo duas semanas antes delas se apresentarem em Vancouver. Ela deve isto a esta cidade, é grande hora.

Fora da General Motors, na avenida que dá para esse inesquecível evento da cultura pop, havia filas por todo quarteirão. Alguém tinha um stereo portátil tocando os hits das garotas em alto e bom som e todos estavam cantando junto e fazendo todas as coreografias oficiais enquanto esperavam para entrar.

Eric Ocasio, 18, tinha ingressos para 20 shows dessa turnê e esperava que as garotas gostassem tanto de se apresentar que pudessem ficar juntas, lançar novos álbuns e “continuarem assim pra sempre”.

Faerlyn, 21, e Jackie, 18, eram rápidas em rejeitar sugestões que as garotas pudessem permanecer juntas por muito tempo para fazerem as energéticas apresentações de antes, insistindo, “Elas são as The Spice Girls – nada pode prende-las!”

E Keegan, Darius e Rob não se importavam sequer se as garotas estivessem fora do tom porque eles estariam cantando alto demais para perceber.

Dentro da arena, eu temia pelos meus ouvidos. O barulho de 16 mil fãs superexcitados gritando com ansiosa antecipação era ensurdecedor.

A neve e a lama das ruas de Vancouver talvez pudessem ter amortecido seus pés mas não seus espíritos. Quando as luzes se apagaram eu pensei por um momento que meus tímpanos explodiriam, mas quem se importaria, havia um show pra assistir!

Uma tela gigante sobre o palco mostrou cinco crianças (uma ruiva, uma loira com chiquinhas, uma morena, uma fazendo careta…você pegou a essência) dançando em seus quartos e falando sobre seus desejos de ser “estrelas mundiais”.

Então velhas manchetes sobre as Spice Girls apareceram – a última anunciando o fim do grupo. Então somos informados (em ingles, as frases rimam:), “O poder de uma não é tão divertido,” “O poder de duas não traz nada de novo”, “O poder de três não tem significado,” “O poder de quatro necessita de mais uma,” “O poder de cinco mantém o amor vivo…”

E então elas aparecem. Como cinco bonecas imaculadas, as Spice Girls aparecem em plataformas cantando Spice Up Your Life e todo mundo enlouquece.

Roberto Cavalli desenhou os modelos, mas aparentemente só teve tempo para fazer quatro dos modelitos bege para o número de abertura – parece que Mel C teve que pegar algo do Walford no último minuto. Ainda sim, ela estava fazendo seu melhor.

Eu vi as Spice Girls ao vivo (duas vezes) 10 anos antes e tudo era sobre Geri e Mel B. Dessa vez Posh conseguia as melhores torcidas quando cantava suas partes solo. Ela notou isso – e pareceu ganhar mais e mais confiança com o desenrolar do show.

A banda insistiu que cantaria ao vivo na turnê e as notas desencontradas (nervosismo da primeira noite, talvez?) certamente apoiaram essa afirmação.

Geri sempre foi minha favorita, mas mesmo que não tivesse sido eu ainda ficaria extasiada vendo sua volta ao grupo, especialmente por ela parecer estar se divertindo tanto quanto nós estávamos. “É bom verem nós cinco no palco outra vez?”, perguntou Emma, depois de Stop. “Eu sempre soube que voltaríamos,” insistiu Mel B, tentando não dar à auto-intitulada Relutante Spice Mel C um olhar travesso.

As garotas mudam seu figurino a cada três músicas. Em um ponto, elas se despem no palco atrás de trocadores com portas em formato de corações, que mais tarde são incorporados em outra coreografia. 2 Become 1 é cantada atrás de gigantescos leques de penas – agitados pelos INCRÍVEIS dançarinos Spice Boys – e Mel B mantém sua pose mesmo quando o dela a acerta na cabeça.

As garotas revivem seus antigos personagens para Who Do You Think You Are – Geri em seu mini-vestido com a bandeira britânica, agora com diamantes, Mel B da cabeça aos pés de estampa de onça, Mel C em um agasalho brilhante, e Emma com seu baby-doll rosa.

Vendo as novas versões das icônicas Spice Girls faz você perceber quão longe elas chegaram.

Obviamente, nem tudo é perfeito. Mel B puxou um cara da platéia, o amarrou em uma escada e colocou seu chicote em sua cara enquanto assassinava Are You Gonna Go My Way de Lenny Kravitz. E quando Mel C cantou seu solo, I Turn To You, a fila para o banheiro triplicou.

Em um ponto pareceu que Victoria cantaria Like A Virgin, mas era apenas a música de fundo enquanto ela desfilava pela passarela usando óculos escuros e fazendo cara feia enquanto os Spice Boys fingiam ser os paparazzis em uma sátira de si mesmo, e depois desapareceu. Porque não Not Such An Innocent Girl?

Ainda bem, o show recuperou o brilho. Melanies B e C, Emma e Victoria cantaram Holler sem Geri. Ela apresentou It’s Raining Men em um colant vermelho, sozinha. E então a melhor parte aconteceu.

Todas as cinco garotas juntas, segurando as mãos, para cantar Mama. Elas pareciam tão trêmulas e comovidas com a entusiasmada recepção que estavam tendo, que tudo se tornou um tanto emotivo.

Geri e Victoria se abraçaram tão ternamente – e por tanto tempo – que praticamente precisavam ficar a sós. Mel B cantou a palavra “Mama” diretamente para Emma, que recentemente se tornou mãe, e sua face se rompeu em um sorriso bobo.

No final elas se desmontaram em um abraço coletivo. Então cantaram Goodbye, a canção feita para a saída de Geri, COM GERI e já não havia um olho sem lágrimas na casa.

As garotas então reapareceram para a parte final com capas de lutadoras de boxe, com seus apelidos nas costas. Depois das últimas músicas sentimentais, Wannabe eleva o clima outra vez – particularmente quando Geri canta a parte, “Se você realmente me chatear então eu vou dizer adeus” e adicionou, “Eu disse!” então tapou a boca, com um ‘oops’.

No final um enorme canhão explodiu banhando o palco e a platéia com zilhões de pedaços de papel dourados, pretos e brancos.

Foi um clímax triunfante apropriado para um show bagunçado, exagerado, super-entusiasmado, beirando ao ridículo – e ainda sim absolutamente incrível.

Se você o vir quando vier para UK e não amar estar ali cada segundo, por favor dê uma olhada em sua pulsação. Você provavelmente já deve estar morto.

 

Deixe uma resposta

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.