Capricho

Capricho
Ano: 1999

É mais fácil lançar um disco estando tão identificada com um grupo?
 
É e não é. É legal porque muita gente que já gosta do meu trabalho, fica curiosa para ouvir o disco. Mas também é ruim porque quem não gosta vai achar que vai ser igualzinho e acaba nem ouvindo, achando que não vai gostar. Por isso, aviso desde já: o som é bem diferente. Eu própria me surpreendi quando ouvi o disco
 
Você mudou o visual para ser vista como uma nova Melanie e não como a Sporty Spice?
 
Não. Já estava afim de mudar há mais tempo, mas foi só no visual, porque ainda sou a mesma Melanie de sempre. Uso as mesmas roupas, tenho as mesmas tatuagens. Sempre gostei da minha imagem, e continuo gostando. No começo estranhei o cabelo curtíssimo, claro, mas isso é normal.
 
Você disse a revista inglesa Q, que as Spice são como um hobby e que seu disco é seu trabalho solo de verdade. É isso mesmo?
 
Eles me entenderam mal, colocaram isso em outro contexto. Eu disse que as Spice são um hobby porque não encaro o grupo só como um trabalho. Não faço por obrigação ou dinheiro. Adoro as meninas. E adoro também meu trabalho solo. Agora tenho duas carreiras. São diferentes, mas gosto das duas. É como uma mãe que tem dois filhos – eles são diferentes e ela gosta dos dois.
 
Por falar em filhos, como são os de Mel G e Victoria?
 
Adoro bebês! Mel tem uma filha e Victoria tem um menino. Eles passam horas com a gente em estúdio. Mesmo com tantos barulho, eles quase nunca choram! (risos)
 
E não dá vontade de ter os seus próprios filhos?
 
Não me vejo sendo mãe agora, não daria certo ainda.
 
Como foram esses quatro anos com as Spice Girls?
 
Adoro as Spice Girls. Esses quatro anos foram maravilhosos. Agora a gente voltou para o estúdio. Estamos gravando há mais de dois meses e posso adiantar que nosso terceiro disco está fantástico. Ele sai provavelmente no final de 1999 e no ano que vem começamos a turnê nova. Quem sabe não passamos pela América do Sul? Tenho muita vontade de conhecer esse pedaço do mundo. Sei que o Brasil tem um futebol maravilhoso. Queria que nossos jogadores fossem tão bons quanto os brasileiros…
 
E como vocês se dão hoje, depois de tanto tempo?
 
Nós nos amamos muito e só por isso as Spice ainda existem. Há muita fofoca – tem gente que garante que nos odiamos. Mas porque continuaríamos se não nos déssemos bem? Pelo dinheiro? Já ganhamos o suficiente. Elas são minha família querida.
 
Qual é a sua música favorita em Northen Star?
 
Escrevi todas, por isso não consigo escolher a favorita. Mas a mais autobiográfica e que dá nome ao disco é Northen Star.
 
BackStreet Boys, N’Sync, Five… Há muitas bandas de meninos. Você acha que o Girl Power corre risco?
 
Sempre existiram grupos de meninos. Havia muito menos de meninas. Graças as Spice Girls, isso mudou. Hoje tem espaço para Britney Spears, TLC, Lauryn Hill, Billie… Quando a gente começou, os BSB também estavam começando. Conheço os meninos e acho que eles merecem o sucesso que estão fazendo hoje. Sei que trabalharam muito duro. O Girl Power não sofre risco nenhum por causa disso.
 
Você disse uma vez que seu príncipe encantado deve estar preso no trânsito, em alguma avenida, e que ele só não a achou por causa disso. Você acha mesmo que toda garota tem um príncipe encantado por aí?
 
Espero que existam vários príncipes encantados, um para cada uma de nós. É isso que me faz ir para frente. Sinto falta de ter alguém comigo, um namorado. Espero que meu príncipe seja bonito, engraçado, que cuide de mim e faça comidas deliciosas para nós dois.

Deixe uma resposta

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.